sábado, 18 de abril de 2015

Tríduo Pascal em Nova Friburgo


Durante o Tríduo Pascal, o coral do Setor feminino dos Arautos do Evangelho de Nova Friburgo teve a honra de prestar auxílio nas cerimônias presididas por Dom Edney Gouvêa Mattoso, na Catedral de São João Batista. As bênçãos desse período litúrgico foram palpáveis desde a missa do lava-pés, onde o clima de Semana Santa começa-se a sentir de maneira mais intensa. Na sexta-feira Santa, a cerimônia da adoração da Cruz, transcorrida no ambiente silencioso e penitente, trouxe também graças de profundo recolhimento. O auge se deu na missa da vigília pascal, onde o Aleluia, belamente entoado por Dom Edney, voltou a ressoar devido à festa da Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Quanta riqueza nos proporciona a Santa Igreja Católica! Que essas graças se perpetuem e possam trazer a todos os que dela aproveitam, frutos de eterna salvação.
Outras duas paróquias de Nova Friburgo também contaram com a ajuda do Setor Feminino dos Arautos do Evangelho nas cerimônias do tríduo pascal: Igreja São Francisco, localizada no centro da cidade, e  a Igreja de São Cristóvão, no Bairro Mury. 

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Domingo de Ramos

           “Estando próximo o tempo da Paixão, o nosso Redentor parte de Betânia para fazer a sua entrada em Jerusalém. Contemplemos a humildade de Jesus Cristo que, sendo o Rei do Céu, quer entrar naquela cidade montado numa jumenta. – Ó Jerusalém, eis que o teu Rei aí vem humilde e manso. Não temas que Ele venha para reinar sobre ti ou apossar-Se das tuas riquezas; porquanto vem a ti cheio de amor e piedade para te salvar e dar-te a vida pela sua morte.
Entretanto os habitantes da cidade que, havia já tempos, O veneravam por causa de seus milagres, foram-Lhe ao encontro. Uns estendem os seus mantos na estrada por onde passa, outros juncam o caminho, em honra de Jesus, com ramos de árvores. – Oh! Quem teria dito que o mesmo Senhor, acolhido agora com tanta demonstração de veneração, havia de passar por ali dentro em poucos dias como réu condenado à morte, com a Cruz aos ombros!
Ó meu Jesus! A cidade, ingrata, em poucos dias trocará os louvores que agora Vos tributa por injúrias e maldições. Hoje cantam: “Glória a Vós, Filho de David; sede sempre bendito porque vindes para nosso bem em nome do Senhor.” E depois levantarão a voz bradando: “Tira, tira, crucifica-O”. Hoje tiram os próprios vestidos; então tirarão os vossos para Vos açoitar e crucificar. Hoje cortam ramos e estendem-nos debaixo de vossos pés; então tomarão ramos de espinheiro, para Vos ferir a cabeça. Hoje bendizem-Vos, e depois hão de cumular-Vos de contumélias e blasfêmias.”

Domingo de Ramos no Setor Feminino dos Arautos do Evangelho-Nova Friburgo



Neste domingo de Ramos de 2015, a Capela Nossa Senhora do Bom Sucesso, localizada na residência do Setor Feminino dos Arautos do Evangelho em Nova Friburgo, esteve cheia para a Santa Missa das 15h. Como de costume nesta data, a Missa iniciou-se com a procissão. Toda a Celebração transcorreu num ambiente de muita bênção e recolhimento neste primeiro dia da Semana Santa.


terça-feira, 31 de março de 2015

Você Sabia?... Qual foi o primeiro santo canonizado?

Ensina-nos a mineralogia que os mais puros cristais se formam pelo esfriamento de rochas em estado líquido. As temperaturas necessárias para fundi-las são elevadíssimas, como as existentes nos vulcões e no magma do interior da terra. Quanto mais longo for o tempo de esfriamento, e maior a tranquilidade desse processo, maiores e mais perfeitos serão os cristais.
O mesmo acontece com as instituições da Igreja: a Liturgia, a hierarquia eclesiástica, o Código de Direito Canônico, as manifestações artísticas, enfim, as maravilhas que conhecemos e deslumbram o mundo hoje em dia.
Nosso Senhor não fundou uma Igreja já perfeita e acabada, mas quis deixar essa tarefa de elaboração das instituições aos seus futuros membros, os quais com serenidade, paciência e sabedoria, iriam cristalizando ao longo dos séculos a maravilhosa e ardente doutrina que nos deixou o Filho de Deus.
Uma dessas instituições, que demorou nove séculos em produzir um dos melhores diamantes espirituais da Igreja, é a das canonizações: o primeiro homem oficialmente elevado à honra dos altares foi Santo Ulrico, Bispo de Augsburgo, na atual Baviera, Alemanha, no século X.
Santo Ulrico
Isto não significa que não tenha havido santos na Igreja nos séculos precedentes. Houve sim, mas não passaram por um processo formal, segundo regras definidas pela Santa Sé. Até então, os santos eram aclamados pelo entusiasmo popular, a vox populi; enquanto hoje, a fama de santidade de um católico leva apenas a que se inicie o seu processo de canonização.
Com a expansão da Igreja, os Bispos, paulatinamente e visando evitar abusos, reservaram-se o direito de propor à devoção pública um determinado fiel, mas faziam-no sempre como  consequência de um primeiro movimento proveniente dos fiéis.
Na época das perseguições, costumava-se celebrar a Eucaristia nos túmulos dos cristãos  falecidos, no aniversário de sua morte. Isso não despertava suspeitas das autoridades perseguidoras, pois os romanos tinham o costume de realizar uma refeição na tumba de seus familiares; e as primeiras liturgias cristãs eram uma imitação muito próxima do acontecido na Última Ceia: não havia ainda um rito estabelecido, paramentos litúrgicos, vasos sagrados, nem a maior parte dos ornamentos usados hoje em dia para estimular nossa devoção e mostrar a devida reverência ao ato sagrado. Nem sequer existiam igrejas.
Assim, pois, esse costume foi se generalizando, e em tempos posteriores às perseguições não era raro celebrar-se com pompa a Eucaristia nos túmulos dos familiares. Santo Agostinho, por exemplo, narra nas Confissões a Eucaristia celebrada na sepultura de sua mãe, Santa Mônica.
Posteriormente, com as migrações e invasões bárbaras, foram sendo removidos e enterrados nas igrejas, para protegê-los contra saques e profanações, os ossos, ou seja, as “relíquias” (do latim, relinquere, deixar para trás) dos mártires, que haviam edificado particularmente os fiéis por sua morte exemplar. No decorrer do tempo, quis-se enterrar nas igrejas também os restos mortais de pessoas dignas de veneração por suas virtudes e exemplo de vida: santos não mártires, como se diz hoje em dia.
Com o aumento do número de “santos”, a Igreja foi estabelecendo os critérios necessários para proclamar a santidade de uma pessoa. E o primeiro em cumpri-los foi Santo Ulrico, canonizado em 3 de fevereiro de 993 pelo Papa João XV. Perdeu-se a bula de canonização, mas sabe-se de sua existência mediante transcrições posteriores e menções em outros  documentos.
Desde então, fizeram-se vários aperfeiçoamentos e modificações no processo, mas os fundamentos estavam lançados.

Fonte: Revista Arautos do Evangelho



quinta-feira, 19 de março de 2015

Aniversário de Sagração Episcopal de D. Edney

No dia 12 de março, nosso Bispo Diocesano Dom Edney Gouvêa Mattoso completou seu 10º aniversário de Sagração Episcopal.
De modo muito abençoado e familiar, Dom Edney celebrou a Santa Missa em ação de graças pela data na capela do Colégio Nossa Senhora das Dores. Vários sacerdotes - entre eles o Vigário Geral, Pe. Marcus Vinicius Brito de Macedo, os Vigários Episcopais, Padres Fábio Felippe e Alexandre Guidio - congratulando-se com nosso Bispo, concelebraram a Santa Missa. O Setor feminino dos Arautos do Evangelho teve a honra de cantar na Celebração Eucarística.

  No término da Missa, o Pe. Marcus Vinícius dirigiu belas palavras ao Pastor de nossa diocese, e Dom Edney encerrou dizendo algo de grande valia para todos os que ali se encontravam, citando São Paulo Apóstolo como exemplo de perseverança e intrepidez na entrega a Deus. 

quinta-feira, 12 de março de 2015

Projeto Futuro e Vida - 2015

Com entusiasmo, o setor feminino dos Arautos do Evangelho em Nova Friburgo iniciou o Projeto Futuro e Vida  - 2015 com apresentações musicais nas escolas municipais Jardel Hottz e Miguel Bittencourt.
No intuito de despertar interesse na arte musical, antes da execução do concerto, foram apresentados os instrumentos musicais e seus respectivos sons. Alguns jovens mostraram grande surpresa ao ouvirem certos instrumentos cujos timbres e melodias agradaram seus ouvidos.
A música coral também foi apresentada de forma dinâmica, onde se expôs aos alunos a diferença das vozes, timbre e registro. Os estudantes passearam pelas culturas de diversos países através de variadas canções típicas.
No final, os alunos puderam participar de um sorteio, recebendo uma pequena lembrança desse dia.





terça-feira, 10 de março de 2015

Primeiro Sábado de Março em Cordeiro - RJ

Mais uma vez atendendo ao apelo de Nossa Senhora em Fátima, a Capela de Nossa Senhora Aparecida, em Cordeiro, realizou a devoção do Primeiro Sábado do mês.
O Apostolado do Oratório, sempre presente em notável número, ali participou da Santa Missa e coroação de Nossa Senhora, seguida da meditação e da recitação do terço, em desagravo ao Imaculado Coração de Maria.
Enquanto um fervoroso grupo de peregrinos viajava desde Cordeiro até São Paulo para lá participar desta devoção na Catedral da Sé, os que ficaram puderam também participar indiretamente da peregrinação, através de sua fervorosa oração.
Que a Virgem de Fátima continue intercedendo pelos fervorosos filhos Cordeirenses.




sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Momento mariano no Retiro de Carnaval


No dia 14 deste mês, algumas Irmãs integrantes do setor feminino dos Arautos do Evangelho de Nova Friburgo estiveram no retiro de carnaval promovido pela comunidade Corban, realizado no Sítio Vale do Thainá, em Banquete-RJ, para realizar um momento mariano com os retirantes.  
As Irmãs primeiramente fizeram uma palestra sobre a devoção a Nossa Senhora, seguida da coroação da imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima. Finalizando o momento, convidaram todos a rezarem um terço, enquanto três rosas foram passando de mão em mão entre os presentes, indicando que aquele que a segurava deveria puxar a Ave-Maria. Aquele que ficasse com a rosa na última Ave-Maria, poderia levá-la para si. No final da recitação do Santo Rosário, uma das pessoas que recebeu a rosa veio dar seu testemunho: “Nunca deixem de fazer o “terço das rosas”, pois eu saí de casa sem o terço, decidido a não rezá-lo mais, mas pedindo um sinal sensível a Nossa Senhora para ver se realmente era isso que deveria fazer... E, por incrível que pareça, no meio de uma multidão, a rosa parou em minhas mãos. É mais que patente que este foi um sinal para que eu não nunca deixe de rezar o Rosário”.

A alegria que emana dos devotos de Maria Santíssima se fez sentir naquele salão. Todos saíram comprometidos de rezarem uns pelos outros para que cresçam na devoção a Jesus por intermédio de Nossa Senhora.